Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

riscos_e_rabiscos

.

.

Homens na Mira

 

Somos afamadas de ser complicadas, mimadas e outros predicados terminados em –adas, como por exemplo, tramadas. Somos sempre nós a pagar as favas. A culpa é sempre nossa. Aqueles clichés todos que vocês tão bem conhecem.

 

Os homens têm uma perspectiva diferente das coisas, é certo. Deve ser algo genético. O pior é quando esta questão genética se alia a um feitio, digamos, menos bom.

 

Há uma coisa, nos homens, que me irrita solenemente: são respostas parcas. Imaginem que vão jantar fora e que são vocês a sugerir o restaurante. Mas o vosso companheiro discorda. A reacção óbvia da vossa parte é perguntar:

- Porquê?

- Porque sim… - responde ele.

- Oh, diz lá porque é que não queres ir ao restaurante… - perguntam vocês meio às “aranhas”.

- Porque não!

- Hummm… Mas tens algum motivo forte para não voltares a colocar lá os pés? – tentam vocês perceber .

- Não… - responde enquanto manuseia o seu jornal desportivo favorito.

- Então e onde te apetece ir? – o vosso estômago começa a roncar.

- A qualquer lado…

- Então vamos àquele… – o desespero e a fome são aliados potentes.

- Não me apetece.

- Não te apetece? Porquê? – a paciência começa a esgotar-se.

- Porque não… - glup!

 

Pescadinha de rabo na boca. É como eu chamo a este tipo de conversa. Sinceramente, homens, digam lá que esta conversa não é típica vossa?! E com este tipo de resposta ainda acham que nós somos complicadas e chatas. Mas no fim das contas, nós só queremos compreender o porquê das vossas respostas. Custa assim tanto dizer “não me apetece porque blá, blá, blá” ou “não gosto porque blá, blá, blá”. A palavra-chave é o “porque”.

 

Este tipo de atitudes é que despoletam situações de crise entre muitos casais. Pode parecer-vos estúpido mas não é. São reveladoras de teimosias estúpidas e de uma falta de diálogo por mesquinhez. Com isto, o que acontece é que, inconscientemente ou não, vão fazendo com que as vossas companheiras se afastem de vocês, deixem de partilhar os seus pensamentos e preocupações com quem partilham a vida. É isso que vocês pretendem? Parece-me que não…

 

Sejam felizes, evitem este tipo de situação, digam às vossas companheiras o “porque” das coisas (para elas é tão importante) mesmo que para vocês ito vos pareça desnecessário.

 

Por natureza, os homens e as mulheres são diferentes. Vocês não estão dispostos  a fazer os sacrifícios que nós estamos. Mas pensem um bocadinho em nós. Prometem?